terça-feira, 12 de julho de 2011

Do lixo ao Luxo: Uma vitrola Philips de 1968


Essa vitrola Philips, de 1968, foi um dos primeiros modelos a funcionar com pilhas a ser vendido no Brasil. Antes dela as vitrolas, mesmo as portáteis, eram de circuito à válvulas e portanto só podiam ser alimentadas por uma tomada elétrica. E este modelo não aposentou os modelos valvulados: ainda no mesmo ano a Philips ainda fabricava vitrolas valvuladas. Todas as outras. Marco histórico!

A vitrola que consta do vídeo, já restaurada e funcionando, foi um caso totalmente à parte. Primeiro os donos que ao me perguntarem na minha comunidade do Orkut, a "Toca-discos sem frescuras", se havia como restaurar, tiveram como resposta de muitos colegas que estes duvidavam que fosse possível. 

Eu aceitei o desafio. Estava toda enferrujada, tanto externa como internamente. Parecia mesmo não mais ser possível recuperar as partes metálicas, bem como a placa de circuito impresso e os transformadores internos. 


Eis que os donos da "criança" vieram de Itatiba para Campinas para que eu visse o aparelho. O prato eles já haviam lixado e repintado, num trabalho muito bom. Mas ainda faltava muito. Muito mesmo.


Como era fim-de-semana, fizemos um churrasco por aqui. E claro, enquanto a carne assava, a batata é que assava pro lado dessa vitrola =] 

Como o circuito é simples, passei a trocar uns capacitores - que eram os componentes mais deteriorados - durante o "churras"!


Vi que embora houvesse ferrugem nos transformadores e outras peças, depois de todos capacitores trocados o circuito já poderia "acordar".

Cheguei a dizer: "cara, esse circuito funciona por pirraça!".

Dito e feito! Deu sinal de vida. Mas como a ideia era caprichar....



À esquerda, a mecânica toda repintada. Estava marrom de ferrugem e travada. Promissor, até agora.

Mas havia ainda o alto-falante a refazer, o motor a trocar, dentre outros detalhes.

O alto-falante não foi muito fácil restaurar, mas valeu a pena. Comprei um novo cone de papel e aproveitei as demais peças, mantendo em estado idêntico ao original.

Alto falante - o antes e o depois


Os transfomadores e dissipadores de calor, retirados da placa, tiveram toda ferrugem removida, foram pintados e reinstalados. Até o diagrama esquemático, que ficava colado dentro da vitrola, fiz novo na impressora laser e colei lá dentro.

E não foi só essa concessão à modernidade: o motor moderno tem vantagens grandes em relação ao original: é mais silencioso, consome menos energia - importante se usar com pilhas - e ainda é facilmente ajustável em velocidade. Nada de som fanhoso! Adaptei também um chip regulador de voltagem. A ver nas próximas fotos.
Aqui, quase pronta!

Motor novo, regulador de voltagem

O último detalhe foi adaptar um plugue para adaptador externo "eliminador de pilhas" - como se dizia na época. Terminado isso tudo, o resultado não poderia ser outro - mas essevocê já conferiu no vídeo lá em cima =]



Além de ajudar quebrar um pouco o paradigma do "isso não tem conserto!" os que antes eram clientes, se tornaram amigos. E trabalho pra eles não parou nessa vitrola. Mas é papo pra outra hora. ;)

21 comentários:

  1. Eu lembro bem como estava essa vitrolinha....um lixo mesmo !!! com certeza diria " não tem como" e ficou lindona...e se nao me engano eu colaborei tbm com o restauro. Essa capsula é a que eu mandei ?
    hheheh PARABENS BILL PELO TRABALHO.

    ResponderExcluir
  2. Incrívelmente fantástico o trabalho que voce fez nesta vitrola, Fábio.Imagino a alegria dos donos ao vê-la resurgir , tocando como nova !Aliás, ficou nova mesmo !!!!
    Eu tenho uma igualzinha, que ganhei do Papai Noel quando tinha 6 anos e que resiste até hoje, assim como minhas lembranças.
    Tenho acompanhado ,com admiração, as suas "artes" por aí e posso dizer, sem sombra de dúvidas, que voce é um cara especial.
    Parabéns !
    Grande abraço ,
    Luiz Marcelo

    ResponderExcluir
  3. Lauro, Obrigado pelo commnet! A cápsula é aquela mesmo =]

    E Luiz Marcelo, muito obrigado pelo comentário. e se um dia a sua vitrolinha precisar de um trato, sabes que pode contar comigo. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. hehe, Pois é, posso dizer que essa vitrolinha foi minha durante os 8 meses seguintes de ter saído das mãos do Fábio.. Hoje ela deve estar encostada num canto qualquer, pegando poeira e aguardando para voltar a ser aquele monte de sucata que era... Infelizmente com o final do meu relacionamento, não fiquei com ela na partilha de bens... Mas enfim, estou em busca de outra: quem souber de alguma, me avise!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Fantástico! Mais fantástico ainda que o trabalho de restauração é a música do saudoso e inesquecível Ray Charles, ouvida através de um 78 rpm!! Congratulations, Bro! And keep on rock!!

    Robson Rocco

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tenho uma vitrola Philips 06GF703 e efetuei a troca dos capacitores e outras peças defeituosas. Minha dúvida está no tipo de transformador AUDIUM por ela utilizado (que está queimado) e possui inúmeros fios os não tenho a mínima idéia da tensão que cada um deles possuía.

    Gostaria de saber se você já teve contato com este esquipamento, pois falta apenas eu colocar uma fonte compatível no lugar desta que queimou.

    O link com o esquema é: http://dc346.4shared.com/img/nt8jCUZE/s7/eletrofone_06gf703.jpg

    Achei estranho aparecer no esquema -12v saindo do center tap do transformador.

    Att,
    Kalil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É 9 volts ; tensão maior vai fritar os transistores ac 128 em contra faze ou então??? refazer os ajuste de base destes no trimpot

      Excluir
  8. Olá, comprei uma dessas, portanto esta sem o plugue de energia e nem sei se funciona. sabe onde posso comprar este plug?

    Att,

    Roberta

    ResponderExcluir
  9. Sabe onde consigo comprar uma vitrola portátil? Se puder me passar algum contato por e-mail seria show: bealoha@gmail.com

    ResponderExcluir
  10. Servi o quartel no ano de 1968/1969. Comprei uma vitrola desta aqui no Rio. Na época eu tinha cerca de uns 20 poucos discos. Era uma beleza.

    ResponderExcluir
  11. Eu também consertei muitos eletrofones PHILIPS esta ng 1151 com dois transistor ac128 em contra fase, tinha uma equalização riaa muito boa e fiel, apenas vinha com o ajuste de rotação errado, abaixo de 33,1/3 tinha que ser retocado no mais foi uma das melhores mesa de toca disco ... saudades saudades saudades ...

    ResponderExcluir
  12. Olá, Fabio. Queria lhe enviar fotos de um rádio e toca discos 78 rotações já em estado bem crítico. Já que você gosta de desafios, por favor me contate no email vandamariamendonca@gmail.com

    ResponderExcluir
  13. eu tenho uma a venda

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-581718454-vitrola-philips-gf-110-1969-_JM

    ResponderExcluir
  14. Olá, bom dia. Bem interessante mesmo.

    Estou me desfazendo de um toca disco 3x1 da Philips. Toca fitas, Rádio AM/FM, toca disco de vinil e tem entrada auxiliar para CD. O modelo é Philips AS 125 (Integrated Stereo System) e acompanha duas caixas de som grande também da Philips (FB 125 Bass Reflex - 2 way Speaker System).

    ResponderExcluir
  15. Boa noite Fábio, você restaura rádio por hobby ou é o seu trabalho? Tenho um toca disco e fita cassete que precisa ser restaurado.. Funciona maior parte, mas eu queria ele novinho pra deixar em casa. Você faz esse tipo de restauração? Obrigada

    ResponderExcluir
  16. Amigo pode me dá uma informação? prá ligar na energia ela tem fonte interna ou externa?. desde já; obrigado

    ResponderExcluir
  17. Ola, tenho duas NG's e gostaria de restaurar ao nível dessa que vocês fizeram. Não estão muito ruins, tocam e os alto falantes estão íntegros. Como faço contato?

    Grato,

    Jorge

    ResponderExcluir
  18. Tenho uma vitrola dessa que vc restaurou porém falta a cápsula da agulha, sabe onde posso encontrar?

    ResponderExcluir